Garota Problema


Isso se chama vida
1 de outubro de 2012, 13:30
Filed under: Uncategorized | Tags: , , , , , ,


Sabe quando tá tudo ruim e parece não existir mais fundo do poço do que aquela situação que você está? Daí você vai dormir chorando, pensando onde foi que errou, tem uma insônia porque parece que os problemas são casos sem solução?

Daí passa um dia ou dois e você recebe um email, SMS, telefone, telegrama, WHATEVER, que muda a sua vida, sua situação e fica tudo bem novamente. Isso se chama vida.

Viver nunca foi fácil, como diriam os Ecos Falsos. Tem gente que sobrevive e isso não deve ser muito legal. Legal mesmo é mostrar pro outro como você está feliz, com as roupas da moda, ouvindo a banda do momento e indo na balada mais descolada.

Mas às vezes tudo o que você quer é ficar em casa, de pijama, assistindo Friends e comendo uma deliciosa comfort food. Então fica!

Olha só, ninguém paga suas contas (e se alguém paga, daí ela até tem o direito de reclamar sobre a sua vida) então vai viver. Faça o que te deixa feliz. Descubra o que te faz bem. Se alguém fala que você é uma pessoa chata porque não gosta de ir pra balada, manda essa pessoa catar coquinho na praia e seja feliz na sexta à noite vendo seu filme predileto em casa, comendo pipoca e tomando vinho.

Amigos, a vida não é bolinho. Não é fácil, nem pudim. Não tenta ser quem as pessoas querem que você seja, só pra estar por dentro. Se você curte o sneaker, usa o sapato que muitos consideram feio, se você curte saia mullet, seja feliz usando essa peça que eu pessoalmente acho uma catástrofe fashion. Mas e daí? Quem curte isso é você!

Seja feliz para você e você será feliz eternamente. Seja feliz pros outros e você nunca alcançará a plenitude.

E não leve nada tão a sério: desde a vida até esse texto.



Eu comi bacon e sobrevivi

Ontem fui comemorar mais um aniversário de namoro com o meu digníssimo no nosso restaurante mexicano favorito aqui em São Paulo, o Si Señor. Aproveitamos que tínhamos uns vales, chamados de “El Doble”, que você ganha quando vai jantar por lá às quartas, quintas e domingos e paga apenas 10% do valor daquele prato. E compensa muito, viu? A comida é maravilhosa, o ambiente também é muito gostoso, com aquela luz baixinha, rock no rádio, com som bem alto, perfeito pra passar a noite toda falando no ouvido.

De entrada pedimos as famosas potato skins, que são batatas em forma de canoa, com a casca, cobertas com cheddar e bacon. BACON. Sempre pedimos sem bacon como um bom casal vegetariano. Até que o garçom nos veio com uma piada: “senhor, o bacon é vegetariano”. Duas coisas que não cabem na mesma frase: BACON e VEGETARIANO. Como assim, né Brasil? O garçom nos disse que era uma carne de soja com sabor de bacon, mas que o negócio era de fato vegetariano. O garçom viu o medo estampado em nossa face, eu até brinquei que não podia comer carne de porco porque era judia *BRINKS*. Uma coisa que nos levou a pedir com um pouco menos de medo foi o fato de que a nossa primeira vez juntos no tal restaurante foi num almoço rodízio, onde as tais batatas eram servidas e o garçom disse a mesma coisa, porém em outra unidade. O Rafael comeu, eu não. Não me lembro direito o que ele disse na época sobre, mas acho que ele deixou de lado e não comeu porque acreditou ter sido zoado pelo garçom.

Pedimos o bacon a parte. O prato chegou. Ele comeu, eu comi. E gente, aquilo não é bacon. É tudo, menos bacon. Eu acredito ser carne de soja granulada com corante e aroma de bacon. O treco não tem nem textura, não tem nem gordura. E eu acredito que seja verdade que aquilo não é bacon, pois existe um SAL DE BACON, que eu nunca experimentei, mas sempre tive a curiosidade.

Só sei que nos deliciamos com aquilo e foi ótimo comer “bacon” depois de tanto tempo. Para os vegetarianos que deixaram de comer carne, mas sentem falta de vez em quando o tal sal de bacon pode ser uma alternativa muito bacana, né? E nesse caso, fazer uma visitinha ao Si Señor também.

Outra coisa que me leva a acreditar que aquilo não era bacon: eu não cheguei nem perto de passar mal. E olha que já aconteceu, infelizmente, de comer carne sem querer e passar muito mal. Com o bacon eu não faço ideia do que poderia ter acontecido, mas não ia ser nada agradável mesmo, especialmente por ser uma carne muito forte e meu corpo não está mais acostumado.

Eu aprovo o bacon da potato skins do Si Señor e quem me conhece sabe que eu sou incrivelmente chata pra esses assuntos alimentares.  Vai na fé e seja feliz com o bacon vegetariano.



Protegido: Promoção Banca de Camisetas
19 de maio de 2011, 13:03
Filed under: Uncategorized

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

Digite sua senha para ver os comentários.


NYC sucks!
11 de dezembro de 2010, 10:00
Filed under: Uncategorized

No começo desse ano eu conheci o Rafael. E foi legal conversar com ele madrugada a dentro, mesmo depois dele me contar que estava de partida pra New York. Daí você pensa “wow, NYC!”, mas eu me senti abandonada, por alguém que eu nunca tinha visto na vida. A partir daquele momento eu comecei a acompanhar todo o esforço dele e a trajetória da viagem.
Eu passava metade dos meus dias apreensiva e a outra metade sorrindo, especialmente por ter encontrado alguém tão bom, tão maravilhoso, tão cheio de virtudes.

Daí chegou o dia 17 de junho. Rafael embarcou. Eu já tinha chorado tudo o que tinha pra chorar e na hora da despedida mesmo, não havia mais lágrimas que expressassem a minha dor. Não havia feição, não havia nada. Eu era a personificação da dor. Tenho certeza.

Em setembro, eu fui até lá para visitá-lo. E conheci NYC, claro. Eu tentei fazer as pazes com ela. Saí de lá apaixonada. Realmente a cidade é assim: apaixonante. Você está lá, seus olhos brilham e tudo é lindo, tudo é mágico. É uma sensação muito boa, principalmente porque eu estava com o amor da minha vida.

Mas o tempo foi passando. Eu continuei contando meus dias para o reencontro. 80 dias. 30 dias. 15 dias. 10 dias. 5 dias. Amanhã. Hoje.

Hoje eu embarco novamente para a cidade que tem todas as qualidades do universo, mas é uma cidade malvada. Ela tirou meu namorado de mim. Ela me provocou, me fez chorar, me fez sentir pequena, abandonada…

Eu tenho uma relação de amor e ódio com New York. Não é culpa minha, é culpa dela. Eu só estava aqui. Meu namorado apareceu, com uma bomba nas mãos, mas eu agarrei a bomba com ele. Só que hoje essa bomba finalmente vai explodir e eu vou rir da cara dessa cidade idiota, porque eu venci!

Chupa essa NYC! Eu até posso passar 20 e poucos dias curtindo você, mas meu namorado volta comigo. Pra sempre!

E sabe, NYC? Eu nem tinha ambição de ir visitar você até conhecer ele. E ele poderia ter ido pro Japão, Itália, Grécia ou Canadá. Eu iria atrás dele, onde quer que ele estivesse. Então, chupa mais uma vez! It´s not about the city, it´s about HIM!

Amor, tô chegando. Te encontro em algumas horas no JFK.



mãe
11 de maio de 2009, 11:11
Filed under: Uncategorized

hope

“Eu espero que eu possa dar para meus filhos a mesma felicidade que você me deu…”

Mãe, você é tudinho pra mim. É uma inspiração. É a saudade que eu sinto. É meu porto seguro. Quem enxuga minhas lágrimas, mesmo por telefone, e quem compartilha os melhores sorrisos, mesmo por SMS. Te amo, Lucia Santana.

imagem via PostSecret



alone
25 de abril de 2009, 22:49
Filed under: Uncategorized

me diz do que adianta estar em um zilhão de redes sociais, ter trezentas pessoas te seguindo no twitter, um monte de gente te adicionando em várias outras, quando no final você é uma pessoal literalmente sozinha?

quero achar um sentido nisso.



os caras da minha vida
10 de março de 2009, 16:10
Filed under: aleatório, eu quero!, Uncategorized | Tags: , , ,

Tava tipo assim pensando nos homens da minha vida. Não da minha vida real, lógico…mas daqueles caras que me fazem querer ver não só o filme todo mas os outros que eles fizeram, alguns que eu conto os dias da semana só pra poder ligar a TV e poder ver ele ali, na tela da TV do meu lar.

Seth Rogen: foi um achado. Vi ele no filme “O Virgem de 40 anos” e eu amei…Amei muito mais porque nesse filme tinha o meu lindinho Paul Rudd. Seth Rogen é tudo o que eu procuro: alto, não é nada atlético nem musculoso, é uma mistura de loiro com ruivo (repara nisso, mudam as tonalidades…genial!), usa óculos, tem um jeito nerd, se veste de forma descolada, fica liiiindo demais de terno e tem um senso de humor incrível. AMO mil vezes.

Paul Rudd: Paul Rudd apareceu na minha vida por volta de 1997, quando eu tinha 8 anos e o filme “As patricinhas de Beverly Hills” passava na Tela Quente, da Globo! Poxa, de cara eu me amarrei naquele “bad boy”. Na realidade ele não era bad boy, fazia o tipo “não ligo pra nada, gata…mas tô aqui pra você”, ou algo do gênero. Bom, eu, criança de 8 anos gostei, mas ainda não o via como homem, saca? Daí anos depois eu assistindo “Friends” quem aparece? O Mike, namorado da Phoebe, lembra? Pois é, o Mike é o Paul Rudd…e eu fiquei com invejinha (branca) da Phoebe. Bom, depois disso a internet já estava ai pra galera, então eu comecei a pesquisar mais sobre o que ele já tinha feito e agora eu vejo todos os filmes que ele faz ou que já tenha visto mas que eu ainda não achei…às vezes algum canal resolve passar alguma comédia romântica dos anos 90 para o meu deleite!

Rafael Cortez: Eu lembro muito bem a primeira coisa que eu fiz quando vi Rafael Cortez no CQC: meu queixo caiu…tipo aquela coisa de você ficar babando. Que homem é esse dels? Manda um a-go-ra pra minha casa. Óbvio que eu fui xeretar a vida alheia e procurar ele no orkut, né? Só que eu e mais trocentas meninas tivemos a mesma brilhante idéia, porém nem todas tiveram a brilhante idéia de fuçar e dizer tchau. NÃÃÃÃÃO. E piriguete se contenta em só fuçar e ver a vida alheia? Resultado: um monte de scraps pro cara. Não fui nem idiota a ponto de pensar em adicionar, até porque ele já está adicionado no meu coração </brega>. Daí eu achei o BLOG dele. E comecei a ler…E quando eu era a primeira a ler, graças ao meu ócio do ano anterior e do meu feed que me avisava, eu comentava…mas só quando sabia que seria a primeira ou uma das…pq né? Certeza que ele não ia ler nada e nem ia lembrar do meu nome, nem de nada…até que um dia ele me reconheceu! Ok, essa última parte é invenção :D Rafael Cortez, se você jogar seu nome no Google e cair no meu blog saiba que eu sou gamada em você oks?  Beijomeliga, mas liga mesmo.

Ok, esse é meu Top 3 da TV/Cinema. Ainda tem o Josh Radnor – o Ted de How I Met Your Mother, Stephen Moyer – Vampire Bill de True Blood e alguns outros, mas não muitos…tá achando que eu sou facinho?