Garota Problema


Exercício matinal

Ultimamente eu tenho acordado mais cedo só pra poder me arrumar melhor. Tem gente (MUITA gente) que acha isso uma futilidade sem tamanho, principalmente porque eu poderia dormir um pouquinho mais, colocar qualquer roupa e sair de casa. Bem, eu já fiz isso e durante muito tempo. A conclusão que eu cheguei foi que o meu dia fica muito melhor quando eu me sinto bem comigo mesma, principalmente quando vou ao banheiro, me vejo no espelho e me acho bonita. Mesmo estando acima do peso, mesmo estando com o cabelo desbotado e a raiz crescendo, mesmo estando na TPM, mesmo qualquer coisa, eu saio de lá e volto pra minha mesa me sentindo infinitamente melhor e mais poderosa.

Não ligo para quem acha isso uma futilidade. Não ligo de gastar minha maquiagem para vir trabalhar. A sensação de chegar em casa, depois de um dia exaustivo, mas ter ouvido vários elogios é maravilhosa. Adoro quando minhas amigas comentam sobre meu sapato, minha blusa, maquiagem, bolsa, acessórios, esmalte. Adoro falar sobre isso, dar dicas, inventar. Adoro também acordar, abrir meu armário, sentar na cama e montar um visual. Adoro ver minha pasta de inspirações no iPod pela manhã.

Às vezes eu quero me vestir como uma bailarina moderna, outro dia eu sou uma grunge suja e no dia seguinte eu me inspiro na linda e clássica Coco Chanel. É uma delícia se permitir ser quem você quiser, quando quiser e de acordo com o seu humor e vontade. Brincar com as minhas roupas e acessórios é um exercício que eu tenho procurado fazer todos os dias.

Claro que tem dias que eu acordo me sentindo horrível, (mais) gorda, uma monstra. E se o dia está num clima ameno, eu já fico feliz o suficiente só por poder usar minha comfort clothe. Isso é um termo que eu inventei para aquela combinação de roupa que cai como uma luva pra você, principalmente nos dias em que você acorda sem vontade de viver. A minha é legging e uma camisa masculina xadrez, roubada do meu pai. Pronto! É como se eu ficasse mais leve na hora, pois me sinto bem comigo mesma, me acho bonita e minha confiança é recuperada na hora. Ultimamente também ando pegando as camisas do namorado. Como não gosto de calor, ainda não descobri uma comfort clothe para os dias mais quentes, mas eu ainda chego lá.

Eu acho que esse negócio de começar a me arrumar antes de sair de casa foi culpa de uma amiga (te dedico, Vanessa!) que me disse que não saia de casa sem maquiagem e que se não desse pra se arrumar antes de sair, se arrumava no ônibus/metrô ou até na mesa do trabalho. Bem, eu sempre andei com uma nécessaire dentro da bolsa, caso surgisse alguma coisa pra fazer de última hora, e agora ela está sendo usada mais do que nunca. Porque claro, tem dias que eu aperto o botão de soneca e quero só mais 10 minutinhos na cama.

 

Anúncios


oi, 2010

2010 começou batendo um tapa na minha cara. Logo na primeira semana eu tive várias experiências que eu jurei que iam mudar a minha vida e, quando eu estava lá no topo da montanha-russa, eu caí…e caí feio! Daí veio aquele momento que eu tirei pra refletir sobre a minha vida e tirei algumas conclusões que me renderam algumas resoluções.

  1. Permitir me apaixonar mais: eu tenho uma regra: só me permito me apaixonar por um cara a cada ano. Eu sei, é uma coisa super idiota que eu tenho, relacionada com sofrimento. Eu odeio sofrer, por homens então nem se fala, mas eu também preciso acordar todo dia e me sentir apaixonada, se não a vida pra mim não faz sentido. E daí quando acaba aquele cara, acabou, pro resto do ano. A solução é escolher um famoso ou alguém MUITO inatingível, tipo, sei lá, o cara mais bonito do lugar onde eu trabalho e criar um historinha na minha mente até o próximo rolo chegar, mas eu não me deixo levar por esse rolo, porque eu já sofri com o outro cara, deu pra entender?
  2. Parar de ligar tanto pra minha mãe: vocês não têm noção do absurdo que eu pago em conta de telefone/celular só pra falar com a minha mãe. Qualquer coisinha que acontece eu ligo pra ela. LITERALMENTE. A gente se fala uma 5 vezes por dia. É muito, não é? Então eu decidi que vou ligar menos pra ela. Posso até começar a mandar mais SMS (é que eu tenho um pouco de preguiça de SMS pra minha mãe), mas nas ligações eu vou diminuir.
  3. Comprar menos roupas que eu não vou usar: okay, eu dei uma leve diminuída nisso, mas eu ainda acho que compro roupas que eu não vou usar. Tipo, ano passado eu comprei um vestido lindo na Hering e eu usei UMA VEZ. O vestido do Reinaldo Lourenço pra C&A, da primeira coleção dele, que eu até mandei arrumar porque ele ficava muito comprido, eu NUNCA usei! Absurdo, brasiu! Vou investir mais em sapatos e bolsas.
  4. Ser menos fechada no trabalho e na faculdade: tenho que parar de ser tão reservada no meu ambiente de trabalho e na faculdade. Não sou esnobe, nem metida, só me fecho na minha concha. No fim de 2009 eu resolvi me abrir um pouquinho e não foi ruim, conheci gente nova, gente bacana e que gosta de mim! Então eu vou tentar ser mais aberta, okay?
  5. Fazer mais promessas: Em 2009 eu fiz poucas promessas. Na realidade, nem me lembro de ter feito alguma. Talvez o ano tenha sido bom, porque se eu não fiz promessas. Ah, lembrei de uma, mas eu também não ia cumprir, então deixa pra lá.
  6. Ter mais fé: não é só fé no sentido da religião, é fé em mim. Às vezes eu preciso ficar repetindo coisas pra mim mesma, até eu acreditar que vou conseguir conquistar o que eu desejo, e meus pais precisam repetir isso trocentas vezes, meus amigos idem. Em 2010 eu vou acreditar mais em mim e em todo o meu potencial, sem precisar que outras pessoas me lembrem e relembrem o tempo inteiro.
  7. Caminhar/correr durante as férias: sim, estou me comprometendo a levantar mais cedo 2 ou 3 vezes por semana enquanto não começam minhas aulas e depois quando eu entrar de férias do meu trabalho. Preciso perder uns quilos pra poder entrar *naquela* calça jeans, usar casacões no inverno sem parecer uma ursa e até usar umas roupas mais apertadas.
  8. Passar mais tempo com meus amigos: e aqui vale o que eu e @renatabranco prometemos: vamos aproveitar melhor nossos domingos. Quero reunir mais o pessoal e fazer um almoço ou jantar, jogar videogame, assistir um filme…Eu amo de paixão ir pra casa dos meus pais, mas eu não posso deixar meus amigos de lado.
  9. Sair mais sozinha: eu adoro ir ao cinema sozinha, mas vou pouco, por pura preguiça mesmo. Tá na hora de começar a andar mais por essa cidade gigante, descobrir lugares, conhecer pessoas, passear mais, ver coisas bonitinhas…Sozinha, acompanhada, sair mais é a palavra de ordem.
  10. Ler mais: eu li tão pouco ano passado, tem até um livro que meu irmão me deu de Natal e eu ainda não terminei! Daí no Natal do ano passado ele já me deu outro livro e eu não consigo começar porque nem terminei o outro. Então, eu me comprometo a ler mais.
  11. Ser mais espontânea: quero ser um pouquinho mais @rebiscoito. Tive vontade de dar um bilhetinho prum cara no ônibus esses dias e amarelei. Antes disso, eu respondi o cobrador do ônibus que brigou comigo por eu ter sido um pouco desatenciosa (juro, ele foi mal educado). Então quando eu tiver vontade de fazer/falar alguma coisa, eu vou tentar fazer. Pensar menos e agir mais.

Não vou prometer comer coisas mais saudáveis, mas espero parar de comer TANTA porcaria. Quem precisa de tanto chocolate e batatinha? Beber eu vou continuar bebendo mesmo, do mesmo jeito, não tá me fazendo mal, eu curto e nem sinal de ressaca nem corpinho de 21 anos.



eu gosto de pessoas felizes
27 de março de 2009, 10:31
Filed under: corpo, cotidiano | Tags: , ,

Já postei diversas vezes sobre felicidade, aceitação e como conseguir as duas coisas. Gosto muito desse assunto pois acredito que todos têm dificuldade em aceitar certos defeitos pessoais. Eu, por exemplo, vivo numa batalha contra a balança, contra espinhas que insistem em aparecer, queda de cabelo, com que roupa sair de casa…e por aí vai. Costumo pregar que ser feliz consiste em se aceitar do jeito que é, tentando mudar (pra melhor) sempre e fazendo com que a sua felicidade contagie os demais.

Outra coisa que eu sou fascinada é em moda. Assino váááários feeds sobre o assunto e amo de paixão isso. Vou dormir pensando na roupa do dia seguinte, tenho um guarda-roupa abarrotado de peças que às vezes parecem não fazer sentido e começa o stress de “com que roupa eu vou”. Hoje, navegando pela net, eu descobri um blog que serve de MUITA inspiração. Em vários sentidos! A garota autora desse blog não segue nenhum padrão de beleza, o que já me deixou feliz. Não que ela não seja bonita…é sim…eu achei ela linda, mas não só esteticamente. É visível a felicidade da pessoa em ser ela mesma. Ela parece conviver bem com ela e não ter problema nenhum com isso, ela se aceita.

Não nego que em um primeiro momento eu me assustei assim que vi a foto, mas dois posts depois eu já estava achando tudo incrível, que força essa garota emana. Ela é um exemplo de que a gente pode ser feliz como é, como também é exemplo de que a moda serve para altos e baixo, gordos e magros…

Olha o slogan da moça:

Pour toutes celles qui pensent que la mode ne se limite pas à un nombre compris entre 34 et 44!

Com o pouco de francês que eu entendo, eu posso dizer que é: Para todos aqueles que pensam que a moda se limita dos números 34 ao 44!

Não é demais?

bat12bat21

Visite a moça! www.leblogdebigbeauty.com



Eu emagreci!
29 de agosto de 2008, 23:20
Filed under: corpo | Tags: ,

Em dezembro do ano passado eu escrevi um post sobre pessoas gordinhas, mais precisamente sobre mim. Pois é, eu já fui gordinha. Gordinha não, pq vendo fotos de uma época que eu me esforço pra nunca mais voltar, eu era gordona. ERA! Tenho certeza que aquele post foi uma das coisas que mais me impulsionou para fazer regime, fechar a boca, controlar minha alimentação e malhar! Lembro muito bem de começar a fazer caminhadas em janeiro, acordar cedo, caminhar uma hora, fazer abdominal…Pouco depois do réveillon eu já tinha eliminado uns 4kg, mas não era suficiente, eu precisava emagrecer mais.

Eu tinha um objetivo: entrar na minha calça mais bonita, mais cara e mais frufru, até o começo das aulas! Então as aulas começaram e sim, eu entrava na bendita calça, mas eu ainda não estava me sentindo bem, precisava de mais, ou melhor, de menos…menos peso.

Eu sou uma garota de 1,65. Fazendo o cálculo de IMC, meu peso normal tem que estar entre 54kg e 68kg. E ok, hoje eu estou. Mas saca só, eu já pesei 86kg!!! Meu IMC era de 31,59, ou seja, obesidade moderada. Cara, eu já fui obesa, é terrível assumir isso. É terrível ter 18 anos e ser obesa, não ter roupa pra sair, não querer sair, não ter auto-estima e ainda por cima ter um monte de amiga magra, alta, bonita…É péssimo. Ainda tem a parte de ser ponto de referência (‘Tá vendo aquela gordinha? Então o João tá atrás dela na fila’).

Agora, parando pra pensar, pq eu fiz tudo isso? Pq eu quis emagrecer? Pq eu não era feliz. Não que hoje eu seja feliz, ninguém é feliz 24h por dia, mas hoje eu já me sinto um pouco melhor. É um pouco melhor, pq tem vezes que eu saio na rua me sentindo um objeto, alguns homens me olham como se eu fosse um pedaço de carne e isso também é péssimo! Olha só, é bem legal ir pra balada, ganhar bebida, ser paquerada e tudo mais, mas cansa. Assim como cansa ir pra balada e não ser olhada. Resumindo, eu tomei a decisão de emagrecer pra “me encaixar nos padrões”, entre aspas pq eu não quero ser do padrão modelodepassarela, eu escolhi o meu padrão, que tb não está nem um pouco para mulher-melancia ou Preta Gil (Preta Gil é padrão de que, afinal?). Meu padrão escolhido foi Marilyn Monroe, mas na fase considerada gordinha, pq na realidade ela não era gordinha, ela era sex symbol! Não, eu não quero título de sex symbol, por favor! Mas vai negar que Marilyn era um mulherão? Dúvido que alguém negue.

marylin monroe linda e loira

marylin monroe linda, loira e o meu ideal de beleza.

O outro post eu dediquei pra todas as pessoas gordinhas e tals. Esse eu tb vou dedicar, mas para que elas se sintam fortes e que elas podem sim, emagrecer e ficar felizes, mesmo que essa felicidade se torne em estresse depois, pq no final, tudo compensa!