Garota Problema


eu não sou normal e nem quero ser. vou desabafar

hoje quando eu saí do trabalho, peguei o ônibus sentido vila mariana, desci no metrô sumaré e de repente eu me toquei que não sabia o que estava realmente fazendo, percebi que eu estava no modo automático da vida. eu não queria ir pra faculdade, na realidade eu devia ter atravessado aquela rua e ter voltado pra casa, pra terminar meu fichamento sobre o chatinho do jameson, mas não eu estava no modo automático da vida. então, para não ser o tipo de “ordinary girl”, eu decidi descer no metrô consolação e andar pela avenida, assim sem rumo. na realidade, eu tinha um rumo, o starbucks do top center e a sua poltrona incrivelmente confortável, perfeita para eu terminar de grifar meu texto sobre cultura e pós-modernidade, tudo isso acompanhado de um mocha grande com baunilha. então tocou ella fitzgerald e se não fosse por aquele grupinho de adolescentes fazendo baderna no meu local de paz, tudo teria sido perfeito.

daí nesse momento, estou eu lá sentada, olhando pra rua, e começo a pensar em muita coisa, muita coisa que aconteceu nos últimos tempos, não sei exatamente o período desse tempo, mas digamos que exatamente há um ano atrás eu me imaginava exatamente onde eu estou hoje. e há um ano atrás eu sei que sentia um frio imenso na barriga, mas  eu também estava mega feliz com a minha situação naquela época. sinto saudades, de verdade. e olha, o que eu aprendi de um ano pra cá não tá escrito, o que eu cresci, as histórias que eu tenho pra contar, pra mim ainda é tudo muito incrível, tanto que às vezes parece que nem fui eu quem viveu tudo o que aconteceu…pra mim é simplesmente lindo!

sendo totalmente sincera comigo mesma, eu admito que eu não estou 100% feliz, aliás teve dias, ou horas, ou momentos que eu estava 100% feliz, até porque eu acredito que ninguém é 100% por 24h, se não a vida não seria nem um pouco interessante. o que me mata no momento é que, infelizmente, eu não me adaptei à faculdade nova. sei lá, eu sinto falta do que eu tinha antes, mesmo sendo pouco, sinto muita falta dos professores, sinto até falta de subir 3 andares de escada…sei lá. sinto falta mesmo. acho que eu superestimei tanto a nova faculdade, que ela não superou minhas expectativas, então, no final, a culpa é toda minha, eu sei. então, quando dá 18h eu só quero morrer por ter que me dirigir pra um lugar que eu realmente não gostaria de ir. tem coisas lá que me fazem gostar daquele lugar, tem até pessoas que fazem valer um pouco apena, e são pessoas, ou pessoa, que eu JAMAIS esperei fazer amizade, eu tenho, sei lá, 15 minutos de conversa com a pessoa e esse momento torna tudo um pouquinho mais agradável (carol, se um dia você ler isso, é pra você, rs…).

daí tem uma outra coisa que me incomoda demais. a confusão que está uma parte da minha vida. pensando bem, mesmo que eu pudesse, eu não mudaria nada do que eu fiz, absolutamente nada. eu não voltaria no tempo e deixaria de fazer certas coisas por conta de outras coisas ou de pessoas. não! eu faria tudo exatamente igual. o que me incomoda de verdade é a falta de comunicação. juro! pra começo de conversa eu sinto muito falta da bruna. cara, é horrível ir pra sjc e saber que ela não está lá, que ela não vai sair comigo pra uma balada fuleira, mas que a gente vai se divertir horrores. eu tipos “perdi” uma irmã, sabe? daí a minha mãe diz que eu fico enfiada dentro de casa, que eu desligo meu celular, que eu me desconecto da cidade, mas o que eu quero mesmo é ter um momento meu. sei lá, eu só queria contar as coisas pra bruna, pra ela me dizer que tudo vai ficar bem, que as coisas na faculdade vão melhorar, que aquele cara é um idiota e não me merece, que eu tô me saindo bem no trabalho e que eu tô lindo e emagreci. fala aí, a bruna é genial! e como mulheres, claro que rola uma certa competição entre a gente, mas é tão saudável que passa despercebido, sei lá…eu arrumava peguete pra ela e vice-versa. e a gente nunca, jamais, disputava. a gente desistia, mas não disputava, jamais! então, mas daí tem os outros amigos de sjc que fazem certas coisas valerem a pena. galere, eu continuo amando vocês do fundo meu coração.

então, é isso. eu só precisava desabafar e sair do modo automático, porque se tem uma coisa que eu odeio é ser normal e comum. tô aqui pra provar que eu posso quebrar a rotina e ser diferente quando eu quiser, mas eu não consegui ser espontânea hoje, não consegui pegar meu celular e ligar pra quem eu queria, infelizmente. e não, eu não preciso provar isso para as pessoas, só pra mim, eu preciso me firmar pra mim todos os dias e nunca esquecer os meus objetivos e os meus erros, para não errar de novo. eu errei muito no último ano, mas acertei bastante. já estive no lugar certo, na hora certa e no lugar errado, na hora errada. agora eu vou fazer a p*rra do fichamento de comunicação compara 2, matéria que eu não  entendo absolutamente nada e eu SEI que tô de exame, hehehe.

Anúncios

2 Comentários so far
Deixe um comentário

QUERO CONHECER ESTA PESSOA

Comentário por jairo

beem olha acho que aconteceu a mesma coisa comigo eu estava em sjc quieta e me deu uma vontade de voltar pra minha cidade natal sbc intao voltei mas me arrependi cada segundo la a escola era melhor td era melhor amoo sjc mas eu burra vim pra sbc !!

Comentário por Natalia




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: